Vi felicidade na dor de amar

amor2

Ter alguém não é garantia de felicidade plena.  Sei disso, não por experiência própria. É que eu guardei na memória todos os casais infelizes que vomitaram as suas angústias diante de mim. E, felizmente (ou infelizmente), eu tenho mania de relembrar todas as cenas as quais eu não quero que façam parte da minha história.

Não só isso tem me feito anestesiada para a paixão. É que sei, agora por experiência própria, que estar junto (com alguém) leva o tempo que antes me pertencia e estar longe faz o meu pensamento ansioso por novos momentos juntos.

Não me apaixono, não sofro… Sou uma miserável ou um sortuda miserável?

Pra piorar a minha convicção, esses dias acessei um blog que fala, especialmente, sobre relacionamentos. Posso dizer que me senti uma alienígena diante de tantos sentimentos que há anos não sinto e de experiências que nunca vivi. Percebi o quanto estou longe do amor e tive motivos pra ficar contente, pois havia mais dor no amar do que felicidade. Os leitores do blog vomitavam suas angústias e expressavam um masoquismo amoroso: sofrer por alguém que te faz sofrer. Com certeza, seria mais inteligente amar alguém que te faz se sentir amado.

~ mas quem impedirá o amor

Apesar disso, entendo todos os leitores daquele blog. Quem impedirá o amor? Nem mesmo o cérebro mais astucioso. O meu tramou um plano sem me consultar. Quando percebi, ele já tinha criado um mecanismo pra me defender da dor. Ele pretende começar a amar quando notar que alguém me amou primeiro, assim virá o fim da anestesia. Então será hora de começar a sentir amor (ou será dor?).

Assim como a certeza da sede que vem, virá o amor. O que nos resta é regá-lo, esperar que cresça e floresça. Os bons frutos independe de nós. A nossa responsabilidade é semear o melhor que temos. Ainda assim, qual garantia de felicidade teremos? Quem dera fosse a mesma garantia da dor de um parto.

Amar traz (pacotinhos de) felicidade em meio as dores. Há felicidade na dor de amar. Pois quando a paixão torna-se amor, a dor é umas das suas expressões. É impossível amar sem sentir dor e é provável que haviam muitos leitores felizes nas próprias dores.

O amor tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. (1 Coríntios 13:7)

Compartilhe